Spoilers do episódio final da 12ª Temporada de Criminal Minds

12x22.7

Shemar Moore retorna no final da 12ª temporada pela primeira vez, desde sua saída na temporada passada – e ele tem barba! Repetimos: Derek Morgan tem barba! “Derek Morgan é um civil agora, então, ele não parece o agente Derek Morgan, é pai, tem barba, está um pouco mais casual”, disse a showrunner e produtora-executiva Erica Messer. Morgan está de volta não tanto para ajudar Reid (Matthew Grey Gubler) a sair da prisão, mas para trazer à BAU uma pista importante na missão de pegar Mr. Scratch (Bodhi Elfman).

“Está um pouco ligado ao que aconteceu com ele ano passado”, disse Messer, acrescentando que Morgan está chocado ao ser trazido de volta de repente. “Scratch não está chegando a Hotch (Thomas Gibson) para nos entregar essa mensagem, pois Hotch está na Proteção à Testemunha, mas ele foi a Morgan, embora Morgan seja um civil agora. Ainda é um pouco desanimador que Scratch possa ter tanto alcance”.

Os arcos de Scratch e Reid serão finalizados, mas você não deve descansar facilmente. “Não é um carro explodindo [como na 3 ª temporada], mas há um legítimo cliffhanger (gancho no final do episódio) que não temos feito há um bom tempo, por isso é bem emocionante”, Messer brinca. “Começamos a 13ª temporada de uma forma diferente. Você fará o mesmo tipo de pergunta: ‘Quem foi?’ ‘Eles estão bem?'”

Spoilers of Criminal Minds Season 12 final episode 

Shemar Moore returns in the Season 12 finale for the first time since his exit last season — and he has a beard! We repeat: Derek Morgan has a beard! “Derek Morgan is a civilian now, so he doesn’t look like his Agent Derek Morgan self. He’s a dad, he has a beard, he’s a little more casual,” showrunner and executive producer Erica Messer tells us. Morgan is back not so much to help Reid (Matthew Gray Gubler) get out of prison but to bring the BAU a major lead in the mission to catch Mr. Scratch (Bodhi Elfman).

“It’s tied to what happened to him last year a little bit,” Messer says, adding that Morgan is shocked to be pulled back in suddenly. “Scratch isn’t getting to Hotch (Thomas Gibson) to get us that message because Hotch is in Witness Protection, but he did get to Morgan even though Morgan is a civilian now. That’s still a little disheartening that Scratch can have so much reach.”

The Scratch and Reid arcs will be wrapped up, but you shouldn’t rest easy. The show will pull off its first proper finale cliffhanger since Season 3. “It isn’t a car exploding [like in Season 3], but it is a legit cliffhanger that we haven’t done in a really long time, so that’s kind of exciting,” Messer teases. “We get to start Season 13 in a different way. You’ll be asking the same type of question: ‘Who was that?’ ‘Are they OK?'”

Tradução/Translated by: Patrícia Angélica

Edição/Edited by: Dayana Alves Coelho

Fonte/Source: TVGuide

12×22 “Red Light” (Final de Temporada/Season Finale)

DR. REID PREPARA-SE PARA ENFRENTAR UMA ANTIGA INIMIGA E DEREK MORGAN PROCURA A EQUIPE COM UMA PISTA QUE PODE AJUDAR A CAPTURAR MR. SCRATCH, NO FINAL DA 12ª TEMPORADA DE CRIMINAL MINDS, QUARTA-FEIRA, 10 DE MAIO

DR. REID SQUARES OFF WITH AN OLD NEMESIS AND DEREK MORGAN COMES TO THE TEAM WITH A LEAD THAT MIGHT HELP CATCH MR. SCRATCH, ON THE 12th SEASON FINALE OF CRIMINAL MINDS, WEDNESDAY, MAY 10

Press12.22

“Red Light” – Pego em um cenário impossível, Reid deve enfrentar uma antiga inimiga, e Derek Morgan (estrela convidada Shemar Moore) procura a BAU com uma vantagem que pode ajudar a pegar Mr. Scratch, o ardiloso fugitivo que tem atormentado a equipe durante toda a temporada, no final da 12º temporada de CRIMINAL MINDS, quarta-feira, 10 de maio, na Rede de Televisão CBS.

“Red Light” – Caught in an impossible scenario, Reid must square off with an old nemesis, and Derek Morgan (guest star Shemar Moore) comes to the team with a lead that might help catch Mr. Scratch, the elusive fugitive that has been tormenting the team all season, on the 12th season finale of CRIMINAL MINDS, Wednesday, May 10 (9:00-10:00 PM, ET/PT) on the CBS Television Network.

12x22.9

Shemar Moore retorna como Derek Morgan / Shemar Moore Returns as Derek Morgan 

 Jane Lynch retorna como Diana Reid, a mãe de Dr. Reid / Jane Lynch Returns as Diana Reid, the Mother of Dr. Reid

ELENCO REGULAR/ REGULAR CAST:

Joe Mantegna (David Rossi)
Paget Brewster (Emily Prentiss)
Matthew Gray Gubler (Dr. Spencer Reid)
A.J. Cook (Jennifer “JJ” Jareau)
Aisha Tyler (Dr. Tara Lewis)
Kirsten Vangsness (Penelope Garcia)
Adam Rodriguez (Luke Alvez)
Damon Gupton (Stephen Walker)

ELENCO CONVIDADO/ GUEST CAST:

Shemar Moore (Derek Morgan)
Cynthia Rose Hall (Guard)
Kevin Will (John Fords)
Beth Riesgraf (Maeve Donovan)
Ellington Ratliff (Ronnie Hawks)
Calvin Harrison (Agent Cal)
Richard T. Jones (Guard Lionel Wilkins)
Gia Mantegna (Lindsey Vaughn)
Jane Lynch (Diana Reid)

ESCRITO POR/ WRITTEN BY: Breen Frazier
DIRIGIGO POR/ DIRECTED BY: Glenn Kershaw

Tradução e edição/Translated and Edited by: Dayana Alves Coelho

Fonte/Source: CBS Express

Feliz aniversário, unsub misteriosa!

Hoje, 17 de abril, é aniversário de Gia Mantegna, mas também devemos dar os parabéns a ela por estar de volta ao elenco convidado de Criminal Minds para a finalização do arco de Reid. SIM! A teoria da equipe Criminal Minds BR se confirma com respostas às perguntas feitas por Patrícia Angélica, a querida apresentadora de nossos podcasts. Leiam abaixo o scoop do TVLine produzido por Matt Mitovich em breve contato com Erica Messer, a Produtora Executiva de Criminal Minds.

“Estou enlouquecendo com o fato de que a filha de Joe Mantegna (Gia Mantegna) está reprisando seu papel da 3ª temporada de Criminal Minds (no episódio “3rd Life”) no episódio 20 (que vai ao ar na quarta-feira, 26 de abril). Alguma informação sobre ela? Além disso, podemos dizer que, depois da lembrança de Reid sobre o assassinato no México, Mr. Scratch não tem nada a ver com isso?” – Patricia

Então, isso é interessante – quando perguntei à Erica Messer sobre a filha de Mantegna, ela foi pega um pouco desprevenida, dizendo: “Isso é um spoiler”. E então ela ficou totalmente apertada. Quanto a sua segunda pergunta, Messer disse: “Não, eu não descartaria Scratch”. Na verdade, ela promete permanecer um fator até “os últimos quadros do final”.

LindseyEPeter

Happy Birthday mysterious unsub!

Today, April 17th, it’s Gia Mantegna’s birthday but we should also congratulate her for being back in guest cast of Criminal Minds for Reid’s arc closure. YES! The theory of Criminal Minds BR team is confirmed with answers to questions asked by Patricia Angelica, the beloved host of our podcasts. Read below the TVLine scoop produced by Matt Mitovich in brief contact with Erica Messer, Executive Producer of Criminal Minds.

“I am freaking out about the fact that Joe Mantegna’s daughter (Gia Mantegna) is reprising her Season 3 Criminal Minds role (in the episode “3rd Life”) in Episode 20 (airing Wednesday, April 26). Any info about her? Also, can we say that, after Reid’s remembrance of the Mexico murder, Mr. Scratch has nothing to do with that?” — Patrícia
So this is interesting — when I asked showrunner Erica Messer about Mantegna’s daughter, she was caught a bit off guard, saying, “That’s a bit of a spoiler.” And then she got totally tight-lipped. As for your second question, Messer said, “No, I would not rule Scratch out.” In fact, he promises to remain a factor until “the last frames of the finale.”

Tradução/Translated by: Patrícia Angélica.

Redação e edição/Written and edited by: Dayana Alves Coelho

Fonte/Source: TVLine

Hotch, Antonia Slade e “Mr. Scratch” em um tenso final de temporada

O final da 11ª Temporada terá o retorno de um dos mais arrepiantes unsubs da História de Criminal Minds: “Mr. Scratch”, o assassino em série que, fantasiosamente empunhando garras, drogou e torturou Hotch na temporada anterior, por meios que nunca foram segredo. Isso talvez esteja relacionado à prisão de Hotch por conspiração, no último episódio desta temporada.

“Eu não quero dizer que Hotch é o centro [do episódio final], mas tem muito a ver com o Hotch”, diz a showrunner Erica Messer. “Não é tão visual como o primeiro episódio [Mr. Scratch], mas é um ótimo episódio de equipe.” Ao contrário dos últimos anos, a 11ª Temporada irá acabar com um ‘gancho’, depois de uma vitória temporária e uma “celebração de todas as coisas boas que aconteceram.” “Não será como a bomba no final do episódio e não saberemos quem sobreviveu”, brinca Messer (em referência ao episódio Lo-Fi – 03×20). Mas é nesse mesmo grande esquema – ‘Oh, meu Deus! Nós estamos apenas começando’.”

“The Storm”, o final da temporada de Criminal Minds, vai ao ar na quarta-feira, 4 de maio, pela CBS.

thestorm

Hotch, Antonia Slade and “Mr. Scratch” in a tense season finale

The Season 11 finale will see the return of one of the creepiest unsubs in Criminal Mindshistory: Mr. Scratch, the talon-wielding serial killer who drugged and tortured Hotch last season by means of which we were never privy. That’s perhaps related when Hotch gets arrested for conspiracy in the episode.

“I don’t want to say Hotch is the center of [the finale], but it has a lot to do with Hotch,” showrunner Erica Messer says. “It’s not as visual as the first [Mr. Scratch] episode, but it’s a big team episode.” Unlike the past few years, Season 11 will also end with a cliff-hanger after a temporary victory and a “celebration of all the good things that have happened.” “There’s not like a bomb at the end of the episode and we don’t know who survived,” Messer teases (referring to the episode’Lo-Fi’ – 03×20). “But it’s in that grander scheme of things, like, ‘Oh, my God! We’re just getting started.'”

Criminal Minds season finale “The Storm” airs Wednesday, May 4th at 9/10 PM on CBS.

Tradução/Translated by: Dayana Alves Coelho

Edição/Edited by: Dayana Alves Coelho

Fonte/Source: TV Guide

Matthew Gray Gubler irá te deixar com muito medo

tumblr_nmv1j35J881so0yzpo1_500

O querido ator, que costumamos ver na frente da câmera, como Dr. Spencer Reid, passou para trás das cenas esta semana como diretor.

E quando parece que um monstro está matando pessoas em uma variedade de casos, isso é apenas um mergulho de cabeça no gênero horror.

Como tive a chance de ver o episódio 21 da 10ª temporada de Criminal Minds, posso dizer que esse é um dos mais assustadores da história da série, então fiquei feliz de falar ao telefone com Gubler e atormentá-lo sobre tal susto de uma hora.

Vamos ver o que ele tem a dizer sobre algumas das escolhas feitas, como ele assegurou que a audiência terá alguns choques graves e como ele persuadiu um desempenho verdadeiramente assustador de seu colega de elenco Thomas Gibson…

TV Fanatic: Sei que você já dirigiu no show antes, mas neste definitivamente você parece ter conseguido algo bem diferente, certo?
Matthew Gray Gubler: Acho que em cada um deles eu realmente tentei fazer algo diferente, único e especial. Este, é claro, é um pouco mais implacável na busca de aterrorizar o público. Sinto que esse é meu forte como diretor. O episódio inteiro, Breen [Frazier, que escreveu o episódio] e eu queríamos apresentar como um truque de mágica, onde você acha que algo é de um jeito e depois acaba sendo outra coisa e ter o tapete puxado continuamente. Era o início da provocação até o fim. Eu acho que é uma peça muito poderosa, e muito disso tem a ver com a escrita.

Matthew mostrando seu lado de diretor no episódio 10x21

Matthew mostrando seu lado de diretor no episódio 10×21 “Mr. Scratch”

TVF: Quais foram os desafios que você enfrentou, porque é fácil exagerar naquelas cenas de horror e as suas não são assim.
MGG: Eu sou um grande fã do gênero horror e do gênero de fantasia, mas para mim o maior desafio é a moderação. Eu sempre tive que fazer isso com todos os episódios de Criminal Minds que tenho feito. Meio que expressando uma realidade onde você está, então, é capaz de fazer o absurdo parecer extra-assustador porque é realmente crível.
Qualquer coisa, na sala de edição, diligentemente corta-se os momentos que você quer ver para que o público fique na ponta da cadeira, incapaz de desviar o olhar. É tomar suas lindas tomadas, e está tirar as coisas de que você está orgulhoso, e obrigar-se a não mostrar tudo ao mesmo tempo.

TVF: Este caso é baseado em algum tipo de caso real?
MGG: Sabe, ainda bem que não. A história é precisa, em termos de Satanic Panic, e à época, meados dos anos 80, quando as crianças culpavam Satanás e tudo acabou sendo desmascarado, a história dele é verdade, mas o caso em si não é.

TVF: Quem ou o que veio com aquele som de monstro? Porque, eu tenho que dizer, eu amei o som do monstro.
MGG: Oh, fui eu. Obrigado. Obrigado, obrigado, obrigado. Eu gastei, sem brincadeira, uma hora e meia apenas aperfeiçoando esse som. Eu não queria contar, mas eu vou. Estava no roteiro que havia este rosnado sobrenatural que estava vindo do cão e assustando as pessoas. Eu tentei um leão. Eu tentei um porco. Eu tentei de tudo, até que finalmente percebi que a coisa mais assustadora é o som de uma arara, um tipo de ave.
Muito estranha, eu acho, em um nível primal [e] realmente ressoa com as pessoas e foi apenas tipo uma construção que em uma estrutura de três partes e certificando-se de que os três momentos em que parece, eu queria que eles sentissem o mesmo escalar da tensão, para que você não saiba que era arara.

TVF: Então é uma arara de verdade, ou alguém fazendo uma arara?
MGG: É uma arara de verdade!

TVF: Oh, incrível. Foi mesmo assustador. Eu amei. Ok.

MGG: Obrigado. Oh, obrigado.

Storyboard de uma cena de

Storyboard de uma cena de “Mr. Scratch” feito por Matthew Gray Gubler.

TVF: Sim. Agora eu sei que você está no episódio, não muito, mas você está lá. É uma coisa louca para você? Eu continuo dizendo bizarro, é a minha palavra do dia depois de ver este episódio.
MGG: Eu gosto disso. Eu gosto dessa palavra. Uma palavra boa, apropriada para este episódio.

TVF: Ao dirigir a si mesmo, você é um diretor que apoia, ou faz o tipo de repreender a si mesmo e dizer: “Você não está fazendo um bom trabalho,” e “dê-me mais”, como um diretor mais pesado?
MGG: [Risos] Boa pergunta. É sempre um pouco de desafio, mas eu realmente tenho muita confiança na minha performance como diretor e isso me ajuda potencialmente, estranhamente, é mais fácil atuar naqueles episódios em que eu dirijo porque eu sinto que preciso fazer o meu melhor em todos os pontos, porque não quero perder tempo em ter que fazer takes extras de mim mesmo.
É um pouco difícil dirigir-se. É estranho, de várias maneiras é muito fácil e em outras é um tipo de desafio. A única coisa que é uma chatice sobre isso é que o diretor em mim quer ver o monitor, mas é claro que eu estou em cena, então realmente não posso fazer isso, mas eu tenho de dirigir a cena de dentro.

Matthew e Elliott Smith nos bastidores de

Matthew e Elliott Smith nos bastidores de “Mr. Scratch”.

TVF: Há uma criança no episódio e estou curioso sobre como foi trabalhar com uma criança como diretor?
MGG: Sim, eu adoro dirigir crianças e muitos dos meus episódios as tiveram. Eu acho que funciona muito bem com crianças e animais. É ótimo. Uma criança excepcionalmente brilhante, o nome dele é Elliott Smith, realmente um grande talento e ele tinha um monte de perguntas sobre o monstro. Mas, é claro, as crianças podem relacionar-se quase mais do que os adultos para a ideia de um monstro estar debaixo de sua cama. Então ele entendeu tudo e fez um grande trabalho.

TVF: Fiquei realmente encantado com o desempenho de Gibson no episódio. Acho que ele fez um trabalho muito bom. Sem estragar o que acontece com ele, você pode falar sobre o trabalho com ele nisso?
MGG: Obrigado. Eu tive uma boa vantagem porque tenho trabalhado com ele como diretor e ator por uma década. Então sei totalmente o quão talentoso ele é do que ele é capaz e nós falamos a mesma língua. Ele é como meu irmão. Nós falamos a mesma língua e nós dois estávamos do mesmo objetivo – de contar a melhor história possível e eu tenho muita confiança nele como ator e ele tem muita confiança em mim como diretor e não poderia ter sido um prazer maior trabalhar com ele. Na verdade, foi uma viagem muito especial para ele.

Hotch em perigo no episódio 10x21

Hotch em perigo no episódio 10×21 “Mr. Scratch”…

TVF: Mais uma vez, sem estragar muito, eu tenho a sensação de que nós podemos ver um pouco do que acontece no episódio nos levar a episódios futuros. Você pode falar sobre isso?
MGG: Obrigado. Breen Frazier escreveu este episódio e outros três que eu dirigi [e] ele e eu somos muito parecidos. O mesmo tipo de narrativa que fica sob a pele e te persegue e assim com Criminal Minds, a melhor maneira de fazer isso é ter um episódio um tanto quanto aberto e eu não estou indo muito longe, mais uma vez, mas nós gostamos de deixar alguma pergunta que faz as pessoas pensarem um pouco mais sobre o que viram do que se você apenas envolvê-los imediatamente. Este último que nós trabalhamos juntos teve um final muito semelhante, onde você não estava muito certo do final. Eu adoro fazer isso com qualquer tipo de direção.

TVF: Diga-me o que mais você está fazendo fora do show. Eu sei que você acabou de fazer algo no Upright Citizens Brigade em Los Angeles.
MGG: Ah, sim. Eu tenho feito muita coisa. Tento ficar muito ocupado. vou gravar um filme em junho, estou realmente animado com ele, eu vou atuar nele. Estou fazendo muito mais comédia. Amo fazer coisas da UCB. Estou vivendo a minha vida, como sempre, tentando entreter as pessoas.

Matthew no UCB Theatre LA.

Matthew no UCB Theatre LA.

TVF: O que exatamente faz um monólogo? [Gubler fez um monólogo no mais recente show da UCB que ele apareceu]
MGG: Um monólogo, eles fazem esse show incrível de improviso onde eles têm um anfitrião convidado que sobe ao palco e pega recomendações de palavras a partir da audiência. Em seguida, uma vez que o público diz algo, como ‘chiclete’, eu tenho que contar uma história de quatro minutos que me aconteceu, que envolveu ‘chiclete’ ou alguma associação livre e contar algumas histórias e, em seguida, a trupe vai encenar a história. É muito engraçado e muito divertido. Eu amo muito todos na UCB, e meu coração se arregala na comédia por isso é tão bacana ser parte de algo ali.

Tradução/Translated by: Patricia Angelica.

Edição/Edited by: Dayana Alves Coelho.

Fonte/Source: TVFanatic

Matthew Gray Gubler fala sobre seu estilo de direção extra-assustador

Para o episódio de Criminal Minds desta quarta-feira, o membro do elenco Matthew Gray Gubler foi novamente para trás das câmeras, dirigindo um roteiro do três vezes colaborador Breen Frazier, o que significa que os telespectadores podem contar com algo pra lá de especial.

Tendo dirigido episódios do drama criminal em sete ocasiões anteriores – incluindo o infame caso das “marionetes humanas” da 8ª temporada – Gubler desta vez trouxe à vida o mistério de várias pessoas sem conexão aparente que são assombrados pelo titular de “Mr. Scratch”, um “monstro de sombras” empunhando garras. Aqui, o ator/diretor fala sobre o seu mais recente esforço e revela o que lhe dá arrepios.

TVL: Foi apenas a sorte de você ter sido sorteado para trabalhar com Breen Frazier novamente, em “Mr. Scratch”?
Matthew Gray Gubler: Não neste momento… Este é o nosso terceiro juntos [incluindo “Lauren” da 6ª e “Blood Relations” da 9ª], ele e eu temos um estilo quando se trata de contar histórias e temos um propósito muito parecido. Ele sempre foi o mais próximo do “Spencer Reid da vida real” que eu conheço, então é claro que nós nos damos tremendamentebem. Eu amo a sua escrita, ele ama minha direção. Nós não poderíamos ser uma equipe melhor.

Matthew Gray Gubler e Breen Frazier são uma dupla e tanto nos episódios mais chocantes e assustadores de Criminal Minds.

Matthew Gray Gubler e Breen Frazier são uma dupla e tanto nos episódios mais chocantes e assustadores de Criminal Minds.

TVL: Uma vez peerguntei à [showrunner] Erica Messer o que você traria para seus episódios que são tipicamente bastante assusyadores, e ela sugeriu que os roteiristas fazem tramas a mais para você.
MGG: [Risos] Acho que é bem por aí!

TVL: Por que você acha que os episódios que você dirige tendem a ser particularmente inquietantes?
MGG: Sabe, eu tento me aproximar de dirigir do ponto de vista mais clássico que se possa imaginar. Muitas das minhas influências são dos antigos filmes expressionistas alemães e dos primórdios do cinema noir. Eu acho que é um ritmo mais lento, um estilo mais subjetivo, menos cruento de dirigir, e isso serve muito bem para nossos episódios. As pessoas sempre vão ter mais medo do que elas não veem, então, fazer isso vai ser sempre um jeito de deixar esses episódios extremamente assustadores. Criminal Minds sempre tem um pouco de contenção, penso eu, o que integra um ótimo cinema assustador.

Continuar lendo