Muitas roupas no armário e histórias para contar: uma entrevista com BJ Rogers, figurinista de Criminal Minds

A 13ª temporada de Criminal Minds estreia amanhã nos EUA e trazemos ao blog uma deliciosa entrevista cheia de informações de bastidores e curiosidades com a figurinista BJ Rogers, presente na série desde o primeiro episódio, em 2005.

CRIMINAL MINDS BR: Como você começou a trabalhar na indústria do entretenimento? Você trabalhou na indústria da moda antes disso?
BJ ROGERS: Eu tinha me inscrito em escolas de Psicologia e depois de ser aceita em algumas muito boas, decidi que queria fazer Moda em vez disso! Então, no último momento, eu virei as chaves para desgosto dos meus pais. Estudei Design e, apesar de ter famílias no negócio, decidi ir pelo caminho da moda! O varejo é um negócio cruel, eu estava de férias no Taiti, e me ofereceram um comercial. Fui muito pouco profissional e nunca voltei para Saks Fifth Avenue, e nunca olhei para trás!
No entanto, fiz uma pausa nos figurinos e projetei linhas de roupas por três anos, mas senti falta do negócio e voltei.

BJ Rogers em um closet cheio de sapatos nos estúdios de Criminal Minds (Foto de BJ Rogers)

CMBR: É verdade que a fita dupla face é a melhor amiga do figurinista?
BJR: Ela tem cola dos dois lados, por isso é de grande ajuda se os botões estão ruins ou se um colarinho não vai ficar no lugar… Isso ajuda os figurinistas no set com a continuidade, pois mantém a roupa no lugar.

CMBR: Você trabalhou com estrelas como Angelina Jolie, Brad Pitt, George Clooney, Bruce Willis e outros, esses artistas dão opiniões sobre os figurinos de seus personagens?
BJR: Sim, sinto que filmes tem muito mais colaboração do que a televisão. Você faz mais acessórios e tem mais tempo para desenvolver um personagem. Sim, é claro que eles têm opiniões. Para mim, os melhores atores são aqueles que querem entrar no personagem, não é sobre o que fica bom neles, mas se o personagem o faria. Em “Os Doze Macacos”, havia muitas cenas em que Bruce [Willis] estava nu, mas lembro de querer colocar um par de Calvin Klein em sua cabeça e Terry Gilliam, o diretor, dizendo que tínhamos ido longe demais! Isso me chocou, já que estávamos no meio da sujeira por todos os lados!
Digo isso apenas com base no prazo que você tem para fazer tudo. De todos os formatos de TV, o episódico é realmente muito corrido, fazemos nossa série entre sete e oito dias, então, quando recebo os tamanhos dos atores, é preciso se enquadrar e envelhecer a roupa se ela for nova. É um processo que consome muito tempo, algumas pessoas agem como se as roupas caíssem do céu, eles realmente não sabem o quanto de dedicação é preciso para o figurino de uma única pessoa. Sinto que é uma experiência muito íntima com o ator, eles são os únicos que realmente veem o tanto de esforço na criação do personagem.

BJ Rogers e Joe Mantegna (Foto de BJ Rogers)

CMBR: Quantas pessoas trabalham com você no departamento de figurino?
BJR: Tenho um grande departamento, principalmente porque a última vez que fiz uma série de episódios foi “Fame LA”, não a original, e, toda semana, eu desenhava para números de dança, era brutal para os clientes e era como passar por todos os 705 [o total de clientes], então eu tenho um cliente que dirige o caminhão, então, dois clientes que trocam episódios e dois clientes importantes que fazem o mesmo. Há uma pessoa para lidar com figurantes. Um supervisor de figurino, duas costureiras e dois assistentes de produção. Então, somos 11!

Continuar lendo