Podcast CMBR Hiatus 1.01 (Recap 10ª temporada)

00 TEMPORADA

Depois de uma aventura de 23 episódios, cá estamos, Day, Tati e eu para analisar tudo o que aconteceu na 10ª temporada de Criminal Minds.

Baixe e junte-se a nós para escutar, comentar e espalhar por aí: http://bit.ly/1Sdf47x

Não se esqueçam que continuaremos a gravar durante o hiatus e esperamos vocês para gravarem com a gente!

P.A.

Podcast CMBR 10.23 (The Hunt)

10.23

Problemas técnicos, humanos e diversos fizeram esse podcast ser um dos mais complicados desta temporada, tanto em termos de gravação, quanto de edição, mas… antes tarde do que nunca, né?!

Então, sem mais delongas: venha ouvir as divagações e comentários de Dayana, Tati e eu sobre o eletrizante final da 10ª temporada.

Baixe, ouça, deixe seus comentários e compartilhe com outros fãs da série que conhecer: http://bit.ly/1d4TimO

 

P.A.

Podcast CMBR 10.22 (Protection)

10.22

Penúltimo podcast da temporada! Um ótimo episódio, num momento não muito apropriado, que pode ter feito muita gente torcer o nariz… quer motivos pra amar “Protection”? As minhas companhias nesta semana te dão muitos!

Vem comigo e com Debora, Tati e José Londe, nosso ilustre convidado baiano, descobrir tudo aquilo que Virgil Williams nos deus de presente em mais um de seus brilhantes roteiros.

Ouça, comente, curta, compartilhe… e venha gravar também! Teremos podcast semanalmente durante o hiatus!

Faça o download aqui: http://bit.ly/1HGJZ7o

P.A.

Final de Temporada de Criminal Minds: Kate, Meg, JJ e mais…

Kate Callahan é o foco de "The Hunt", final de temporada de Criminal Minds.

Kate Callahan é o foco de “The Hunt”, final de temporada de Criminal Minds.

A décima temporada de Criminal Minds está quase acabando, mas isso não significa necessariamente que todas as sequências de ação da série começarão a minguar. Na verdade, a série policial processual de longa duração contará com um dos seus episódios mais emocionantes na próxima semana.

Os predadores on-line da estreia que ficaram muito próximos de sequestrar Meg, em fevereiro, logo conseguirão raptá-la, e todos unirão forças para resgatar a sobrinha da Kate.” O fim do episódio 22 [na semana anterior] teve um gancho”, conforme afirmou a produtora executiva Erica Messer. “Você descobre no final que o assunto ainda estava no radar de Kate e um pouco do Hotch também. Nenhum deles realmente esquece após a estréia. “Enquanto o final será um passeio “rápido”, irá terminar com uma nota positiva e sem ganchos. “Agora raramente fazemos [ganchos]. “Me sinto como se o finale fosse uma recompensa para todos os que assistiram a toda a temporada, para que sintam que realmente terminamos com um estouro e deixar todo mundo respirar aliviado ao invés de segurar a respiração, diz Messer. Parte disso incluirá JJ,  revelando que ela está grávida (A gravidez de AJ Cook na vida real será escrita na história de sua personagem), o que significa que Henry será o irmão mais velho!

A gravidez de AJ Cook também será escrita para sua personagem em Criminal Minds.

A gravidez de AJ Cook também será escrita para sua personagem em Criminal Minds.

O episódio 22 de “Criminal Minds” foi quase um aquecimento, dado que esta é uma série que ama acabar de maneira grandiosa. “The Hunt” na próxima quarta-feira é uma ótima forma de se terminar, pelo menos no que é uma bela história de arco completo de temporada de um seriado. Isso nos leva de volta para o personagem de Kate Callahan, que conhecemos no início da da temporada, e nos dá a chance de ver se ela será capaz ou não de salvar sua sobrinha Meg, que é praticamente uma filha para ela, junto de uma de suas amigas, de uma terrível situação. Isto está longe de ser a primeira vez que Criminal Minds abordou sequestro em uma história, mas em geral, não há a tendência de acabar bem.

Continuar lendo

10×23 – “The Hunt”

QUANDO A SOBRINHA DE KATE E SUA MELHOR AMIGA SÃO RAPTADAS, A BAU SUSPEITA DE UM PREDADOR ONLINE, ENVOLVIDO EM TRÁFICO SEXUAL, NO FINAL DA 10ª TEMPORADA DE “CRIMINAL MINDS”, QUARTA-FEIRA, 6 DE MAIO

WHEN KATE’S NIECE AND HER BEST FRIEND ARE KIDNAPPED, THE BAU SUSPECTS AN ONLINE PREDATOR ENGAGED IN SEX TRAFFICKING, ON THE 10TH SEASON FINALE OF “CRIMINAL MINDS”, WEDNESDAY, MAY 6

10X23Press

“The Hunt” – Quando Meg, a sobrinha da Kate, e sua melhor amiga, são raptadas, a BAU suspeita de um predador online envolvido em tráfico sexual, no final da 10ª temporada de CRIMINAL MINDS, quarta-feira, 6 e maio, às 22h, na rede de televisão CBS.  Greg Grunberg (“Alias”, “Heroes”) retorna como o marido de Kate, Chris Callahan.

“The Hunt” – When Kate’s niece Meg and her best friend are kidnapped, the BAU suspects an online predator engaged in sex trafficking, on the 10th season finale of CRIMINAL MINDS, Wednesday, May 6 (9:00-10:00 PM, ET/PT) on the CBS Television Network.  Greg Grunberg (“Alias,” “Heroes”) returns as Kate’s husband, Chris Callahan.

O resgate da Meg, sobrinha de Kate, e sua melhor amiga, é o foto de "The Hunt", episódio final da 10ª Temporada.

O resgate da Meg, sobrinha de Kate, e sua melhor amiga, é o foto de “The Hunt”, episódio final da 10ª Temporada. 

A BAU corre para salvar a sobrinha da Kate, Meg, e sua melhor amiga, no final da 10ª Temporada.

The BAU races 2 save Kate’s niece Meg & her BFF on 10th season finale.

ELENCO REGULAR/REGULAR CAST:

Joe Mantegna (David Rossi)
Thomas Gibson (Aaron Hotchner)
Shemar Moore (Derek Morgan)
Matthew Gray Gubler (Dr. Spencer Reid)
A.J. Cook (Jennifer “JJ” Jareau)
Kirsten Vangsness (Penelope Garcia)
Jennifer Love Hewitt (Kate Callahan)

As personagens de Hailey Sole e Taylor Mosby, Meg Callahan e Markayla Davis, correm perigo em "The Hunt" (10x23).

As personagens de Hailey Sole e Taylor Mosby, Meg Callahan e Markayla Davis, correm perigo em “The Hunt” (10×23).

ELENCO RECORRENTE/RECURRING CAST:

Hailey Sole (Meg Callahan)

ELENCO CONVIDADO/GUEST CAST:

Greg Grunberg (Chris Callahan)
Taylor Mosby (Markayla Davis)
Molly Culver (SSA Tia Canning)
Melora Walters (Paige)
Brian Howe (Alex Zorgen)
Teresa Huang (Dr. Weiss)
Brent Chase (Kyle)
Deja Dee (Mrs. Caroline Davis)
Chad Roberts (Sam Devers)
Perry Smith (Woman)
Bayo Akinfemi (Male Nurse)
Brandon Rush (Agent Rush)
Chris Degner (Miles Hendrick)
Kevin Fry-Bowers (Colin Dupley)
Sabrina Claire (Female Field Reporter #1)
Andrew T. Lee (Male Field Reporter #2)
Natasha McCrea (Female Desk Reporter #1)
Scott Bourquin (Male Desk Reporter #2)

ESCRITO POR/WRITTEN BY: Jim Clemente & Janine Sherman Barrois
DIREÇÃO/DIRECTED BY: Glenn Kershaw

Tradução/Translated by: Dayana Alves Coelho.

Fonte/Source: CBS Express.

Podcast CMBR 10.21 (Mr. Scratch)

10.21

Episódio confuso e polêmico não poderia resultar em outra coisa que não um podcast que promete dar o que falar. Tudo culpa de mais uma união entre Matthew Gray Gubler e Breen Frazier atrás das câmeras.

Ouça para tirar suas possíveis dúvidas e para ver o emocionante caso sob outro prisma.

Baixe aqui: http://bit.ly/1dU8QL1

E não esquece de deixar seu recado, pergunta, pedido, comentário ou sugestão…

P.A.

10×22 – “Protection”

VÍTIMAS DESCOBERTAS NA ÁREA DE LOS ANGELES LEVAM A BAU À PROCURA DE UM UNSUB VIGILANTE, EM “CRIMINAL MINDS,” QUARTA-FEIRA, 29 DE ABRIL

VICTIMS DISCOVERED IN THE LOS ANGELES AREA HAVE THE BAU SEARCHING FOR A VIGILANTE UNSUB, ON “CRIMINAL MINDS,” WEDNESDAY, APRIL 29

10x22Press“Protection” – Quando vítimas baleadas são encontradas na área de Los Angeles com eventuais ligações à atividade criminosa, a BAU procura um unsub vigilante, em CRIMINAL MINDS, quarta-feira, 29 de abril, às 22h, na rede de televisão CBS. Joe Adler (“The Mentalist”) é a estrela convidada como Danny Lee Watson.

Criminal Minds S10 - 1022. PROTECTION - Promo 1

“Protection” – When shooting victims are found in the Los Angeles area with possible links to criminal activity, the BAU searches for a vigilante UnSub, on CRIMINAL MINDS, Wednesday, April 29 (9:00-10:00 PM, ET/PT) on the CBS Television Network.  Joe Adler (“The Mentalist”) guest stars as Danny Lee Watson.

Joe Adler, ator convidado do episódio 10x22 "Protection", como o unsub Danny Lee Stokes.

Joe Adler, ator convidado do episódio 10×22 “Protection”, como o unsub Danny Lee Stokes, no meio de Virgil Williams (roteirista) e Tawnia McKiernan (diretora do episódio).

Joe Adler (“The Mentalist”) estrela como Danny Lee Watson.

Joe Adler (“The Mentalist”) Guest Stars as Danny Lee Watson.

ELENCO REGULAR/REGULAR CAST:

Joe Mantegna (David Rossi)
Thomas Gibson (Aaron Hotchner)
Shemar Moore (Derek Morgan)
Matthew Gray Gubler (Dr. Spencer Reid)
A.J. Cook (Jennifer “JJ” Jareau)
Kirsten Vangsness (Penelope Garcia)
Jennifer Love Hewitt (Kate Callahan)

ELENCO RECORRENTE/RECURRING CAST:

Hailey Sole (Meg Callahan)

Hailey Sole e Taylor Mosby, de volta como Meg Callahan e Markayla Davis, em "Protection".

Hailey Sole e Taylor Mosby, de volta como Meg Callahan e Markayla Davis, em “Protection”.

ELENCO CONVIDADO/GUEST CAST:

Joe Adler (Danny Lee Stokes)
Christina Vlahakes (Milena Valdez)
Melissa Pino (Patricia Valdez)
Todd Williams (Detective Spreewell)
Marcello Thedford (Eddie “Sweetness” Parrish)
Shoniqua Shandai (Working Girl #3)
Elena Tovar (Lizette Castro)
George Caleodis (Gary Fisher)
Sandy Gimpel (Utility Stunt (Clara Miller))
Eric Watson (Utility Stunt (Lamar Taylor))
John Hundrieser (Club Dude/Cara da boate)
Katrina Norman (Lindsey Cooper)
Josh Thrower (Christopher DeLuca)
Norman Howell (Utility Stunt (Mailman/Carteiro))
Brian Majestic (Nate Cochran)
Shy Vaughn (Tasha Brooks)
Taylor Mosby (Markayla Davis)
Melora Walters (Paige)

ESCRITO POR/WRITTEN BY: Virgil Williams
DIREÇÃO/DIRECTED BY: Tawnia McKiernan

Tradução/Translated by: Dayana Alves Coelho

Fonte/Source: CBS Express

Podcast CMBR 10.20 (A Place at the Table)

10.20

Podcast falando de mais um daqueles episódios de tirar o chapéu. Daqueles que serão difíceis de esquecer.

Junto comigo, Debora Gutierrez e Tati Biancarelli refletindo sobre um episódio que acertou em cheio em tudo o que quis abordar e até um pouco mais.

Baixem (http://bit.ly/1GP69E2), ouçam, curtam, comentem e compartilhem!

P.A.

Matthew Gray Gubler irá te deixar com muito medo

tumblr_nmv1j35J881so0yzpo1_500

O querido ator, que costumamos ver na frente da câmera, como Dr. Spencer Reid, passou para trás das cenas esta semana como diretor.

E quando parece que um monstro está matando pessoas em uma variedade de casos, isso é apenas um mergulho de cabeça no gênero horror.

Como tive a chance de ver o episódio 21 da 10ª temporada de Criminal Minds, posso dizer que esse é um dos mais assustadores da história da série, então fiquei feliz de falar ao telefone com Gubler e atormentá-lo sobre tal susto de uma hora.

Vamos ver o que ele tem a dizer sobre algumas das escolhas feitas, como ele assegurou que a audiência terá alguns choques graves e como ele persuadiu um desempenho verdadeiramente assustador de seu colega de elenco Thomas Gibson…

TV Fanatic: Sei que você já dirigiu no show antes, mas neste definitivamente você parece ter conseguido algo bem diferente, certo?
Matthew Gray Gubler: Acho que em cada um deles eu realmente tentei fazer algo diferente, único e especial. Este, é claro, é um pouco mais implacável na busca de aterrorizar o público. Sinto que esse é meu forte como diretor. O episódio inteiro, Breen [Frazier, que escreveu o episódio] e eu queríamos apresentar como um truque de mágica, onde você acha que algo é de um jeito e depois acaba sendo outra coisa e ter o tapete puxado continuamente. Era o início da provocação até o fim. Eu acho que é uma peça muito poderosa, e muito disso tem a ver com a escrita.

Matthew mostrando seu lado de diretor no episódio 10x21

Matthew mostrando seu lado de diretor no episódio 10×21 “Mr. Scratch”

TVF: Quais foram os desafios que você enfrentou, porque é fácil exagerar naquelas cenas de horror e as suas não são assim.
MGG: Eu sou um grande fã do gênero horror e do gênero de fantasia, mas para mim o maior desafio é a moderação. Eu sempre tive que fazer isso com todos os episódios de Criminal Minds que tenho feito. Meio que expressando uma realidade onde você está, então, é capaz de fazer o absurdo parecer extra-assustador porque é realmente crível.
Qualquer coisa, na sala de edição, diligentemente corta-se os momentos que você quer ver para que o público fique na ponta da cadeira, incapaz de desviar o olhar. É tomar suas lindas tomadas, e está tirar as coisas de que você está orgulhoso, e obrigar-se a não mostrar tudo ao mesmo tempo.

TVF: Este caso é baseado em algum tipo de caso real?
MGG: Sabe, ainda bem que não. A história é precisa, em termos de Satanic Panic, e à época, meados dos anos 80, quando as crianças culpavam Satanás e tudo acabou sendo desmascarado, a história dele é verdade, mas o caso em si não é.

TVF: Quem ou o que veio com aquele som de monstro? Porque, eu tenho que dizer, eu amei o som do monstro.
MGG: Oh, fui eu. Obrigado. Obrigado, obrigado, obrigado. Eu gastei, sem brincadeira, uma hora e meia apenas aperfeiçoando esse som. Eu não queria contar, mas eu vou. Estava no roteiro que havia este rosnado sobrenatural que estava vindo do cão e assustando as pessoas. Eu tentei um leão. Eu tentei um porco. Eu tentei de tudo, até que finalmente percebi que a coisa mais assustadora é o som de uma arara, um tipo de ave.
Muito estranha, eu acho, em um nível primal [e] realmente ressoa com as pessoas e foi apenas tipo uma construção que em uma estrutura de três partes e certificando-se de que os três momentos em que parece, eu queria que eles sentissem o mesmo escalar da tensão, para que você não saiba que era arara.

TVF: Então é uma arara de verdade, ou alguém fazendo uma arara?
MGG: É uma arara de verdade!

TVF: Oh, incrível. Foi mesmo assustador. Eu amei. Ok.

MGG: Obrigado. Oh, obrigado.

Storyboard de uma cena de

Storyboard de uma cena de “Mr. Scratch” feito por Matthew Gray Gubler.

TVF: Sim. Agora eu sei que você está no episódio, não muito, mas você está lá. É uma coisa louca para você? Eu continuo dizendo bizarro, é a minha palavra do dia depois de ver este episódio.
MGG: Eu gosto disso. Eu gosto dessa palavra. Uma palavra boa, apropriada para este episódio.

TVF: Ao dirigir a si mesmo, você é um diretor que apoia, ou faz o tipo de repreender a si mesmo e dizer: “Você não está fazendo um bom trabalho,” e “dê-me mais”, como um diretor mais pesado?
MGG: [Risos] Boa pergunta. É sempre um pouco de desafio, mas eu realmente tenho muita confiança na minha performance como diretor e isso me ajuda potencialmente, estranhamente, é mais fácil atuar naqueles episódios em que eu dirijo porque eu sinto que preciso fazer o meu melhor em todos os pontos, porque não quero perder tempo em ter que fazer takes extras de mim mesmo.
É um pouco difícil dirigir-se. É estranho, de várias maneiras é muito fácil e em outras é um tipo de desafio. A única coisa que é uma chatice sobre isso é que o diretor em mim quer ver o monitor, mas é claro que eu estou em cena, então realmente não posso fazer isso, mas eu tenho de dirigir a cena de dentro.

Matthew e Elliott Smith nos bastidores de

Matthew e Elliott Smith nos bastidores de “Mr. Scratch”.

TVF: Há uma criança no episódio e estou curioso sobre como foi trabalhar com uma criança como diretor?
MGG: Sim, eu adoro dirigir crianças e muitos dos meus episódios as tiveram. Eu acho que funciona muito bem com crianças e animais. É ótimo. Uma criança excepcionalmente brilhante, o nome dele é Elliott Smith, realmente um grande talento e ele tinha um monte de perguntas sobre o monstro. Mas, é claro, as crianças podem relacionar-se quase mais do que os adultos para a ideia de um monstro estar debaixo de sua cama. Então ele entendeu tudo e fez um grande trabalho.

TVF: Fiquei realmente encantado com o desempenho de Gibson no episódio. Acho que ele fez um trabalho muito bom. Sem estragar o que acontece com ele, você pode falar sobre o trabalho com ele nisso?
MGG: Obrigado. Eu tive uma boa vantagem porque tenho trabalhado com ele como diretor e ator por uma década. Então sei totalmente o quão talentoso ele é do que ele é capaz e nós falamos a mesma língua. Ele é como meu irmão. Nós falamos a mesma língua e nós dois estávamos do mesmo objetivo – de contar a melhor história possível e eu tenho muita confiança nele como ator e ele tem muita confiança em mim como diretor e não poderia ter sido um prazer maior trabalhar com ele. Na verdade, foi uma viagem muito especial para ele.

Hotch em perigo no episódio 10x21

Hotch em perigo no episódio 10×21 “Mr. Scratch”…

TVF: Mais uma vez, sem estragar muito, eu tenho a sensação de que nós podemos ver um pouco do que acontece no episódio nos levar a episódios futuros. Você pode falar sobre isso?
MGG: Obrigado. Breen Frazier escreveu este episódio e outros três que eu dirigi [e] ele e eu somos muito parecidos. O mesmo tipo de narrativa que fica sob a pele e te persegue e assim com Criminal Minds, a melhor maneira de fazer isso é ter um episódio um tanto quanto aberto e eu não estou indo muito longe, mais uma vez, mas nós gostamos de deixar alguma pergunta que faz as pessoas pensarem um pouco mais sobre o que viram do que se você apenas envolvê-los imediatamente. Este último que nós trabalhamos juntos teve um final muito semelhante, onde você não estava muito certo do final. Eu adoro fazer isso com qualquer tipo de direção.

TVF: Diga-me o que mais você está fazendo fora do show. Eu sei que você acabou de fazer algo no Upright Citizens Brigade em Los Angeles.
MGG: Ah, sim. Eu tenho feito muita coisa. Tento ficar muito ocupado. vou gravar um filme em junho, estou realmente animado com ele, eu vou atuar nele. Estou fazendo muito mais comédia. Amo fazer coisas da UCB. Estou vivendo a minha vida, como sempre, tentando entreter as pessoas.

Matthew no UCB Theatre LA.

Matthew no UCB Theatre LA.

TVF: O que exatamente faz um monólogo? [Gubler fez um monólogo no mais recente show da UCB que ele apareceu]
MGG: Um monólogo, eles fazem esse show incrível de improviso onde eles têm um anfitrião convidado que sobe ao palco e pega recomendações de palavras a partir da audiência. Em seguida, uma vez que o público diz algo, como ‘chiclete’, eu tenho que contar uma história de quatro minutos que me aconteceu, que envolveu ‘chiclete’ ou alguma associação livre e contar algumas histórias e, em seguida, a trupe vai encenar a história. É muito engraçado e muito divertido. Eu amo muito todos na UCB, e meu coração se arregala na comédia por isso é tão bacana ser parte de algo ali.

Tradução/Translated by: Patricia Angelica.

Edição/Edited by: Dayana Alves Coelho.

Fonte/Source: TVFanatic

Matthew Gray Gubler fala sobre seu estilo de direção extra-assustador

Para o episódio de Criminal Minds desta quarta-feira, o membro do elenco Matthew Gray Gubler foi novamente para trás das câmeras, dirigindo um roteiro do três vezes colaborador Breen Frazier, o que significa que os telespectadores podem contar com algo pra lá de especial.

Tendo dirigido episódios do drama criminal em sete ocasiões anteriores – incluindo o infame caso das “marionetes humanas” da 8ª temporada – Gubler desta vez trouxe à vida o mistério de várias pessoas sem conexão aparente que são assombrados pelo titular de “Mr. Scratch”, um “monstro de sombras” empunhando garras. Aqui, o ator/diretor fala sobre o seu mais recente esforço e revela o que lhe dá arrepios.

TVL: Foi apenas a sorte de você ter sido sorteado para trabalhar com Breen Frazier novamente, em “Mr. Scratch”?
Matthew Gray Gubler: Não neste momento… Este é o nosso terceiro juntos [incluindo “Lauren” da 6ª e “Blood Relations” da 9ª], ele e eu temos um estilo quando se trata de contar histórias e temos um propósito muito parecido. Ele sempre foi o mais próximo do “Spencer Reid da vida real” que eu conheço, então é claro que nós nos damos tremendamentebem. Eu amo a sua escrita, ele ama minha direção. Nós não poderíamos ser uma equipe melhor.

Matthew Gray Gubler e Breen Frazier são uma dupla e tanto nos episódios mais chocantes e assustadores de Criminal Minds.

Matthew Gray Gubler e Breen Frazier são uma dupla e tanto nos episódios mais chocantes e assustadores de Criminal Minds.

TVL: Uma vez peerguntei à [showrunner] Erica Messer o que você traria para seus episódios que são tipicamente bastante assusyadores, e ela sugeriu que os roteiristas fazem tramas a mais para você.
MGG: [Risos] Acho que é bem por aí!

TVL: Por que você acha que os episódios que você dirige tendem a ser particularmente inquietantes?
MGG: Sabe, eu tento me aproximar de dirigir do ponto de vista mais clássico que se possa imaginar. Muitas das minhas influências são dos antigos filmes expressionistas alemães e dos primórdios do cinema noir. Eu acho que é um ritmo mais lento, um estilo mais subjetivo, menos cruento de dirigir, e isso serve muito bem para nossos episódios. As pessoas sempre vão ter mais medo do que elas não veem, então, fazer isso vai ser sempre um jeito de deixar esses episódios extremamente assustadores. Criminal Minds sempre tem um pouco de contenção, penso eu, o que integra um ótimo cinema assustador.

Continuar lendo