Após demissão, Thomas Gibson pode processar ABC Studios e CBS TV Studios, produtores de Criminal Minds

Foi o terceiro incidente em cinco anos que levou à expulsão de Thomas Gibson de Criminal Minds na sexta-feira, de acordo com várias fontes da indústria com conhecimento da situação.

O ator foi demitido de Criminal Minds por produtores da ABC Studios e CBS Television Studios, em sequência a uma investigação interna de uma agressão no set, em que Gibson supostamente chutou o escritor-produtor Virgil Williams durante a produção de um episódio que Gibson estava dirigindo.

O incidente que ocorreu cerca de duas semanas atrás foi a gota d’água para os estúdios, após duas crises anteriores. Em janeiro de 2013, Gibson não contestou a condução imprudente relacionada com o álcool, depois de ser preso por suspeita de dirigir embriagado. E em dezembro de 2010, ele teria empurrado o diretor assistente de Criminal Minds Ian Woolf, durante uma gravação, tarde da noite, em uma das locações. Isso levou os estúdios de produção a mandarem que Gibson tomasse oito horas de aulas de controle da raiva.

Gibson, de acordo com várias fontes, era uma personalidade instável no set, que poderia por vezes ser gentil e amigável e, em outras vezes, rapidamente ficar enraivecido. Não era segredo que Gibson e sua co-estrela em Criminal Minds, Shemar Moore, que saiu da série no final da temporada passada, tinham um relacionamento extremamente tenso. Fontes disseram que o hábito de Moore de chegar atrasado ao set agravava sua relação com Gibson.

S10 - AH 4

As exigências de Gibson para que o cronograma de produção fosse manipulado para permitir-lhe a máxima flexibilidade em viajar para sua casa em San Antonio, Texas, era uma fonte de atrito com outros atores e produtores. Um funcionário antigo descreveu Gibson como “egoísta” a esse respeito.

O incidente de empurrões veio tarde da noite, pouco antes das férias em 2010, durante uma gravação na locação na ponte da Sixth Street, perto do centro de Los Angeles. A seqüência de perseguição pedia que Gibson dirigisse rapidamente através da ponte. Houve alguma confusão sobre quando Gibson deveria começar, e depois da tomada ele saiu do carro gritando e confrontando Woolf sobre questões de segurança. Woolf gritou de volta diversas vezes, após as quais Gibson empurrou o diretor com ambas as mãos.

O incidente abalou os funcionários, pois pareceu marcar uma escalada de tensão de Gibson nos sets de filmagem. Houve surpresa por ele não enfrentar a disciplina mais severa da ABC Studios, a entidade de produção da série. Atritos também surgiram no meio das negociações de Gibson sobre um novo contrato com o show – conversas que foram suspensas até que ele completasse suas aulas de controle de raiva.

Apesar da briga, Woolf permaneceu na equipe de Criminal Minds até dois anos atrás, quando ele mudou para o spinoff Criminal Minds: Beyond Borders.

Depois da prisão de Gibson por dirigir embriagado, em 2013, ele perdeu seus direitos de dirigir por um período, o que significava que funcionários de Criminal Minds freqüentemente o levavam e traziam dos sets para trabalhar.

MAS_criminal_minds_s01-ingested

Thomas Gibson como Aaron Hotchner e o elenco regular da 1ª temporada de Criminal Minds.

Os incidentes passados pesaram na decisão dos estúdios em encerrar com Gibson, ao mesmo tempo que apresenta um desafio criativo significativo para a série. O ator tem sido um intrépido membro desde a estreia, em 2005. Ele irá aparecer nos dois primeiros episódios da próxima temporada, que já foram concluídos antes da sua suspensão, porém ele não voltará ao set para filmar quaisquer cenas finais.

Um representante de Gibson não quis comentar a história, assim como a ABC Studios e CBS Television Studios e a Produtora Executiva e showrunner de Criminal Minds Erica Messer. Em um comunicado divulgado sexta-feira, Gibson expressou seu agradecimento ao elenco e à equipe da série e aos fãs ao longo dos anos.

Gibson, que dizem ter ganho cerca de 5 milhões de dólares para estrelar na série na última temporada, também negou ter apresentado qualquer mau comportamento, apesar de fontes internas afirmarem que ele seria pavio curto e teria baixa tolerância a qualquer desentendimento no set.

A demissão de Gibson lembra as circunstâncias ainda mais extraordinárias que cercaram a saída de Charlie Sheen, em 2011, da Warner Bros. Television, da sitcom da CBS Two and a Half Men. Em algum momento, o potencial de um estúdio em ser responsável por um comportamento imprevisível supera até mesmo o poder de uma estrela sobre uma série rentável.

13658435_253952568319160_1323981517_n

Thomas e Aisha Tyler nos bastidores das gravações do episódio 12×01 “The Crimson King”

Criminal Minds tem sido uma jogada consistente para a CBS em horário nobre e uma fonte estável de lucros de distribuição para os dois estúdios.

Algumas fontes que trabalharam com Gibson durante anos dizem que nunca viram esse lado obscuro descrito por outros. Uma fonte enfatizou que ele é um homem de família dedicado, que se comprometeu a passar o máximo de tempo possível com seus filhos jovens e sua mãe idosa.

Mas outros não ficaram tristes em vê-lo partir: “É como se uma nuvem escura tivesse sido tirada desse show”, disse um funcionário de longa data sobre a partida dele. “Você nunca sabia qual Thomas Gibson iria aparecer.”

Entretanto, Thomas Gibson pode estar se preparando para contra-atacar. O ator recentemente manteve contato com Louis “Skip” Miller e Alexander Frid no que poderia ser uma ação potencial contra os produtores de Criminal Minds, ABC Studios e CBS TV Studios. Skip Miller, da firma de advocacia Miller Barondess, sediada em Los Angeles, advogado proeminente com experiência em disputas da indústria do entretenimento, confirmou que a sua empresa está representando Gibson.

13606799_1217165424994870_4176244103477746230_n

Thomas no 56º Festival de TV de Monte Carlo

Os advogados da Miller Barondess têm um encontro cara a cara com o ator demitido, previsto para a próxima semana. Com isso para acontecer, uma ação de 2014 do ex-agente de Gibson, Craig Dorfman, pode servir como um modelo para o momento em que o comportamento inadequado do ator acabou.

Craig Dorfman apresentou uma queixa de quebra de contrato quase dois anos atrás, sobre as comissões não pagas de seu ex-cliente de longa data. Alegando um histórico de mau comportamento pelo ator, o processo terminou na Comissão do Trabalho e ainda está à espera de uma decisão, apesar de uma audiência meses atrás.

“Em Criminal Minds, Gibson acreditava que os produtores, diretores, escritores e membros do elenco eram incompetentes e inferiores a ele” – reivindica o processo de agosto de 2014, apresentado pelos advogados Bryan Freedman e Jordan Susman, em meio a uma ladainha de incidentes de Gibson, tanto na sua vida profissional quanto pessoal. “Não surpreendentemente, dada sua atitude condescendente, Gibson muitas vezes brigou verbalmente com seus colegas de trabalho, com um incidente quase resultando em socos no set”, o que acrescenta quase como um aviso para o que ocorreu mais recentemente. Os membros do elenco que foram listados como tendo sido envolvidos em discussões verbais com Gibson incluem as ex-estrelas Mandy Patinkin e Shemar Moore, alegando que, certa vez, Gibson foi enxotado por agredir Moore fisicamente.

Season 1 (14)

Shemar Moore, Mandy Patinkin e Thomas Gibson em foto promocional da 1ª temporada de Criminal Minds

“Consequentemente, Dorfman foi necessário para convencer os executivos da rede, acalmar produtores irritados e gerenciar os agentes de talento e publicitários de Gibson.” Dorfman, é claro, não mais representa Gibson e, obviamente, qualquer bajulação por representantes atuais sobre o último incidente não foi suficiente para manter Gibson no emprego.

Se Gibson decidir tomar providências legais, este não será o primeiro processo de tal tipo que a ABC Studios encara com uma ex-estrela.

A investigação ABC-CBS ainda está em curso, e se afirma que os produtores e os membros do elenco estão expressando apoio a Williams. Mas como parte da investigação, o papel de Williams na briga também será dissecado, assim como a história das relações de Gibson no set. E se Gibson decidir registrar uma reclamação legal contra os estúdios, Williams e outros membros do elenco e da equipe também podem ser dispensados.

Tradução: Dayana Alves Coelho

Edição: Dayana Alves Coelho

Fontes: The Hollywood ReporterDeadlineVariety

Anúncios

7 respostas em “Após demissão, Thomas Gibson pode processar ABC Studios e CBS TV Studios, produtores de Criminal Minds

  1. “Eu amo ‘Criminal Minds’ e dei meu coração e alma para a série nos últimos doze anos. Eu tinha a esperança de estar nela até o fim, mas isso não será possível agora. Gostaria dizer apenas obrigado aos escritores, produtores, atores, a nossa incrível equipe, e, o mais importante, os melhores fãs que o programa poderia ter”, emocionou-se.

    O que dizer isso?!

  2. Sai Morgan e Hotch ao mesmo tempo praticamente… Não deu tempo nem de enxugar as lágrimas pela saída de um e já sai outro. Acho que vai ser bem complicado. Mas pelo que li, foi merecido

  3. Complicado, mas sinto em dizer que sem o Morgan, e agora Aron… Perde todo o sentido, não só pq sou fã deles (assim como sou da JJ e Reid) .. Mas sim por conta de toda a trama que envolve estes personagens… E principalmente agora na 12ª!! Nem se fala!!! LAMENTÁVEL!! 😦

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s