Joe Mantegna: ‘Criminal Minds’ não é um programa de faz-de-conta ou um fingimento… o que mostramos não é uma fantasia”

Joe Mantegna – natural de Chicago –  é mais conhecido por seu papel atual na série CBS Criminal Minds como David Rossi, Agente Especial Supervisor da Unidade de Análise Comportamental do FBI, e por papéis no cinema em Three Amigos, The Godfather Part III, Forget Paris e Up Close & Personal.

Inúmeras outras aparições em filmes de Mantegna incluem Elvis, Big Shots in America, The Money Pit,Homicide, Searching for Bobby Fischer, State of Emergency, Above Suspicion, Underworld, The Simpsons Movie, Hank and Mike, Witless Protection, Cars 2 e Compulsion.

Nós retratamos uma organização real. Somos a Unidade de Análise Comportamental do FBI. Isso não é um fingimento, um programa do tipo 'faz-de-conta'. Em outras palavras, o que mostramos, o que representamos, não é fantasia. Nós não glorificamos isso, e não mostramos coisas mais intensas ou horríveis apenas por mostrar ou pelo que o que seria realmente. No entanto, por outro lado, não fugimos dela."

Nós retratamos uma organização real. Somos a Unidade de Análise Comportamental do FBI. Isso não é um fingimento, um programa do tipo ‘faz-de-conta’. Em outras palavras, o que mostramos, o que representamos, não é fantasia. Nós não glorificamos isso, e não mostramos coisas mais intensas ou horríveis apenas por mostrar ou pelo que o que seria realmente. No entanto, por outro lado, não fugimos dela.”

As aparições na TV são: Bosom Buddies, Archie Bunker’s Place, Simon & Simon, The Twilight Zone, Saturday Night Live (convidado), The Simpsons (a voz de Fat Tony), Frasier, The Last Don (minissérie), Rugrats, The Sopranos e First Monday.

O ator foi indicado ao Emmy em três minisséries: TThe Last Don (1997), The Rat Pack (1999) e The Starter Wife (2007). Ele estrelou a o drama familiar da CBS Joan of Arcadia com Mary Steenburgen e Amber Tamblyn de 2003 a 2005.

A décima temporada de Criminal Minds vai estrear em 01 de outubro de 2014, às 9:00 pm.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Joe, como é a sensação de ter uma carreira tão bem sucedida na televisão?

Joe Mantegna: Bem, isso é ótimo. É o que eu esperava. Aconteceu em um momento em minha carreira, quando eu estava buscando alguma estabilidade. Eu estava viajando por todo o mundo, mas quando fiquei mais velho e meus filhos ficaram mais velhos; era atrativo para mim tentar talvez ficar em algum lugar onde eu pudesse ter alguma estabilidade, onde eu sei que eu estaria por uma maior parte do ano. O truque era encontrar algo que me desse tipo de estabilidade. Uma coisa é estar em uma série de televisão. Outra é estar em um que é executado dez anos. Isso é muito difícil.

Eu estava procurando por isso, nesse momento da minha carreira. Eu passei por algumas outras séries. Eu comecei com este chamado First Monday, que eu adorava fazer, mas que só tinha treze episódios. É como as coisas acontecem, e depois disso, eu fiz Joan of Arcadia, que teve duas temporadas.

Joe Mantegna e elenco da série 'Joan of Arcadia' (Mary Steenburgen, Jason Ritter, Amber Tamblyn e Michael Welch)

Joe Mantegna e elenco da série ‘Joan of Arcadia’ (Mary Steenburgen, Jason Ritter, Amber Tamblyn e Michael Welch)

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Como um grande elenco em Joan of Arcadia.

Joe Mantegna: Foi um show maravilhoso, e eu adoraria que tivesse sido maior, mas isso não aconteceu. Essa é a realidade do negócio, mas finalmente, agora, o número três foi o encanto para mim, com Criminal Minds. Quando tudo aconteceu, eu senti que era realmente um show de qualidade e tinha muita coisa para ele. Como se viu, ele tem. Estou muito feliz com isso.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Haverá algum serial killers familiar retornando para a 10ª temporada?

Joe Mantegna: Bem, um monte disso, eu nem mesmo sei porque temos de seis a oito escritores, e durante o hiato, eles passam o tempo inteiro chegando com pensamentos e idéias. Temos algumas sugestões. No passado, eles reagiram a uma sugestão que eu tive. Foi meu assistente, Dan Ramm, que co-escreveu o episódio de duas temporadas atrás, que lidou com esse personagem que Meshach Taylor fez, que foi meu comandante do Vietnã. Esse personagem foi trazido de volta na temporada passada. Nós continuamos com essa história.

Descobriu-se que o ator faleceu neste último ano, então teremos que encontrar uma forma de resolver isso nesta próxima temporada. ​Assassinos em série passados? Sim. Há uma chance. Tendo sido em torno de 10 anos, temos a oportunidade de mergulhar de volta em outros casos, de modo que é sempre uma possibilidade também. Então, nós temos um novo membro do elenco, a Jennifer Love Hewitt, que tem sido fantástica. Tem sido muito divertido tê-la por perto. Ela trouxe uma energia totalmente nova para o show. É tudo de bom. Estamos todos ansiosos para esta temporada.

Meshach Taylor em seu último trabalho com ator participou de Criminal Minds nos episódios 8×07 – “The Fallen” e  9×13 – “The Road Home”.

Meshach Taylor em seu último trabalho com ator participou de Criminal Minds nos episódios 8×07 – “The Fallen” e 9×13 – “The Road Home”.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): você estará dirigindo o episódio que amarra o personagem Meshach Taylor?

Joe Mantegna: Yeah. Há uma boa chance que eu dirija o episódio que tem algo a ver com a linha do tempo dessa história.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Seus colegas de elenco são bons em seguir suas instruções como diretor?

Joe Mantegna: (risos) Eu estou lá há oito anos agora. Eu propositadamente esperei até chegar a minha vez, você sabe. Eu não queria pular para a direção muito cedo. Eu propositadamente não quis dirigir nada até que eu me sentisse confortável com todos e eles comigo. Temos uma tradição no nosso show de qualquer maneira. Thomas Gibson está dirigindo um episódio que estamos gravando agora, e ele fez alguns.

Matthew Gubler fez mais do que qualquer outro membro do elenco. Ele fez cinco ou seis episódios, se não fez mais ao longo dos últimos dez anos, então há uma história nisso, e não é tão incomum em outros shows também. O que você encontra é que, se um ator tem esse tipo de propensão a querer dirigir e tem que conjunto de habilidades e desejo e está no show por um tempo, ele pode trazer algo à tona e deixar os outros atores se aproveitarem disso.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Quando você entrou para o elenco há oito anos, você basicamente substituiu Mandy Patinkin (Jason Gideon), que deixou o programa porque ele estava preocupado com o conteúdo escuro. Isso te incomoda?

Joe Mantegna: Não. Se, de fato, esses foram os sentimentos de Mandy sobre deixar o show, ele tem direito à sua opinião, e isso é bom. A razão por que não me incomoda é que eu olhar para o programa um pouco diferente. Eu olho para ele dessa forma: nós retratamos uma organização real. Somos a Unidade de Análise Comportamental do FBI. Isso não é um fingimento, um programa do tipo ‘faz-de-conta’. Em outras palavras, o que mostramos, o que representamos, não é fantasia. Nós não glorificamos isso, e não mostramos coisas mais intensas ou horríveis apenas por mostrar ou pelo que o que seria realmente. No entanto, por outro lado, não fugimos dela.

Eu acho que é importante que o público entenda o que estes homens e mulheres de verdade tem que enfrentar todos os dias. Então quer dizer que eu estou chateado com o que estamos mostrando, que é basicamente fingir coisas que simulam o que essas pessoas reais fazem, é quase um insulto para o que eles fazem. Se fizéssemos menos do que isso, então estaríamos dizendo: “Bem, este é o tipo do que essas pessoas fazem, mas não é realmente porque temos medo. Nós vamos pegar leve com você e dar-lhe a versão suave de que este trabalho é. Meu sentimento é que se fizéssemos isso, eu não sei se ainda estaria ao de dez anos.”

Joe Mantegna e Jennifer Love Hewitt, nos bastidores das gravações da 10ª Temporada de Criminal Minds.

Joe Mantegna e Jennifer Love Hewitt, nos bastidores das gravações da 10ª Temporada de Criminal Minds.

Acho que isso é parte da força do nosso show. As pessoas sabem quando assistem o programa, o que ele realmente vai ser aquilo.. Se a intensidade, severidade e as escuridão são parte dela, que assim seja. Certamente todo mundo tem uma escolha para não assistir algo assim se isso os perturba, assim como uma pessoa tem a opção de não atuar nele se isso o perturba. Mais uma vez, quem sou eu para ficar chateado chegando em um cadáver em uma cena? Alguém pode dizer: “Oh, isso é horrível.” Mas quando dizem cortar, o ator se levanta e vai para obter um sanduíche enquanto no negócio real, isso não acontece. Então, não, não me incomoda em nada, e eu faço isso por respeito para os homens e mulheres do FBI que fazem este trabalho todos os dias.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Ele é muito realista, e alguns dos episódios são baseados em criminosos da vida real.

Joe Mantegna: Nós temos episódios feitos com base em criminosos verdadeiros e casos reais, certamente inspirado por um monte de coisas que estão acontecendo. Não há muito o que fazer no nosso programa que seja inconcebível ou não queira ou não possa ter acontecido.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Alguns dizem que “dez” é o número mágico para as séries de TV. Esse poderia ser o último para Criminal Minds?

Joe Mantegna: Pessoalmente, eu não vejo por que isso iria acontecer. Temos consistentemente subido nossa audiência contra programas de alto perfil, como American Idol, como Modern Family, e ainda tendem a ganhar a noite. Em termos de número total de espectadores, especialmente agora com o enfraquecimento do American Idol, tendemos a ter mais espectadores totais na quarta-feira à noite do que qualquer um outro programa na televisão.

Eu não sei sobre um número mágico, mas você vê CSI entrar em seu décimo quinto ano, e agora tiramos um público maior do que eles. Se você fizer as contas, eu não vejo lógica alguma para Criminal Minds terminar em breve.

Fat Tony, personagem dublado por Joe Mantegna em "os Simpsons".

Fat Tony, personagem dublado por Joe Mantegna em “os Simpsons”.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): O Poderoso Chefão, The Last Don, Os Simpsons – o que é esse traço de caráter que você tem que é tão mafioso, Joe?

Joe Mantegna: (risos) Eu … eu não sei. Eu sei que há, obviamente, esse aspecto ítalo-americano de que eu acho que tem sido a história dele, mas, por essa razão, é por isso que tendo a escolher um personagem ítalo-americano sempre que eu jogar um caráter positivo. É por isso que David Rossi em Criminal Minds é um personagem ítalo-americano. Pegue um cara como Joey Zasa, de O Poderoso Chefão, ou Fat Tony, de Os Simpsons e dizer: “Está bem. Ele é um mafioso ítalo-americano.” No mesmo lado, temos um ítalo-americano como um cara do FBI.

Quando eu fiz First Monday, eu fiz um ítalo-americano, porque ele estava no Supremo Tribunal Federal. Em Joan of Arcadia, fiz um personagem com o sobrenome “Girardi” para torná-lo um ítalo-americano, porque ele era chefe de polícia, e sua filha falou com Deus. Em outras palavras, eu tento equilibrar a balança. Há um certo grau de estereotipagem nesta cidade.

Robert Deniro, Al Pacino e eu, todos fizeram muito boas carreiras de ocasionalmente encenando personagens que andavam dos lados errado da rua, mas eu aproveitava todas as oportunidades possíveis para fazer o oposto e prestar alguma homenagem à minha origem étnica,  para mostrar que um porcentagem muito pequena dos ítalo-americanos estavam envolvidos no crime, embora se envolvessem muito nisso, então vamos equilibrar isso um pouco.

Temos dois membros da Suprema Corte que são ítalo-americanos agora. Portanto, não é isso. Mas eu gosto de fazer tudo. Eu amo ser Fat Tony e estar em filmes como O Poderoso Chefão e O Último Don. Se os papéis são bons, eu vou fazê-los. Ninguém nunca me pediu para fazer capitães de mar suecos com frequência, o que eu entendo.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): (risos) Você também está envolvido em Gun Stories?

Joe Mantegna: Sim. Este é um show no Outdoor Channel que fiz por quatro temporadas, e eu acho que já foi renovada para uma quinta temporada. Tiro esportivo é algo que eu costumava fazer anos atrás, e eu ainda faço. Foi um dos melhores shows educativos no canal nos últimos anos, porque se as pessoas querem conhecer a história de certas armas históricas, é uma espécie de um nicho para as pessoas que têm esse interesse.

Joe apresenta o programa "Gun Stories", do Outdoor Channel.

Joe apresenta o programa “Gun Stories”, do Outdoor Channel.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Você ainda está programado para produzir um novo filme sobre Dean Martin?

Joe Mantegna: Estamos tentando conseguir esse feito. Na verdade, o filme seria sobre sua filha Deana. Isso é o que o torna único. É baseado em seu livro sobre a vida com o pai dela, e eu pensei que seria uma história fascinante, especialmente tendo atuado como Dean no filme, The Rat Pack, para a HBO há vários anos. Eu tenho um apego forte e fascinante com Dean, e eu pensei que era um livro fascinante.

Acho que as pessoas achariam interessante ver como que a vida e o mundo estava através dos olhos da filha de alguém que era como um ícone, uma grande estrela como e porque ela é uma artista em seu próprio direito. Eu ainda acho que é uma idéia muito viável. Nós ainda estamos trabalhando nisso. É uma daquelas coisas que … as rodas giram lento nesta cidade. Às vezes as coisas estão no caminho rápido, mas às vezes as coisas demoram muito tempo para acontecer. Eu já vi isso acontecer uma e uma e outra vez. Se isso acontecer, vai acontecer em seu próprio tempo, e eu espero que sim.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Quaisquer outros projetos futuros?

Joe Mantegna: Eu tenho algumas coisas em andamento. Minha assistente é um escritor, e ele escreveu um par de coisas que são possíveis idéias piloto que estão lá fora. Eu vou continuar a fazer Os Simpsons. Eu continuo a fazer o National Concert Memorial Day cada ano. Eu tenho feito isso por 13 anos agora. Este será o meu décimo quarto ano com Gary Sinise. Combinamos isso. Eu tento ficar ativo e fazer coisas que dão apoio aos nossos militares. Criminal Minds me mantém muito ocupado embora. Essa é uma de dez meses de trabalho, que, certamente, ocupa o meu tempo.

Todo ano Joe Mantegna e Gary Sinise participam das celebrações do 'National Memorial Day', nos EUA.

Todo ano Joe Mantegna e Gary Sinise participam das celebrações do ‘National Memorial Day’, nos EUA.

Melissa Parker (Smashing Interviews Magazine): Você tem algum tempo livre?

Joe Mantegna: Eu acho tempo. Infelizmente, o show é construído de tal forma que nós não temos que estar lá o tempo todo. É uma união forte, que é o que eu gosto sobre o show. Não é apenas uma banda de um homem só, por isso todos nós temos o nosso tempo livre. Eu gosto de golfe. Eu tenho dois filhos adultos que são ativos nas coisas que eles gostam de fazer. É uma boa vida. Eu não tenho queixas. Eu posso lidar com isso. Eu não me sinto sobrecarregado. Eu sou muito grato.

Tradução: Thais Barbosa N. Morais.

Fonte: Smashing Interviews Magazine.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s